PÁGINA PRINCIPAL  |  LÍNGUA/PAÍS  |  LOGIN  |  ÁREA DO PRODUTOR


Busca  

Notícias

Interessados no Nelore brasileiro, Equador e Colômbia terão palestras sobre genética e cruzamento industrial
Gerente de Corte da Semex Brasil fará palestras e treinamentos nos dois países ent...
Regional Semex realiza palestra sobre melhoramento genético em Paraíso/SC
Produtores e inseminadores do município de Paraíso/SC, participaram no último...
Gincana de integração arrecada mais de 1.200 alimentos não perecíveis para instituição de Blumenau
Ação fez parte de um trabalho de desenvolvimento de equipe em empresa de gené...
Clube da Bezerra marca início da parceria Semex e Cooperativa Auriverde
A 22° edição do Clube da Bezerra Auriverde realizada no dia 20 de outubro, em Cu...
Grupo Semex leva tecnologia e soluções em genética para Leite Show 2018
Tudo pronto para mais uma Leite Show. Em 2018, o evento será realizado entre os dias 24 e 27...
De olho em novas tecnologias, produtores brasileiros visitam fazendas da Califórnia
Foram visitadas sete fazendas dos Estados Unidos, além de laticínio, fábrica ...

Veja Todas As Notícias
Método de congelamento lento (One Step) de embriões bovinos produzidos in vitro: Uma solução para o campo
Artigo publicado em Fevereiro 20, 2018, 15:22:58

Bookmark and Share    Subscribe

(A oferta insuficiente de alimentos saudáveis, é sem dúvida o maior desafio da ciência na atualidade. O investimento na biotecnologia animal no Brasil é respaldado por dois principais fatos. O primeiro é o fato que o Brasil ainda lidera a lista dos países com maior biodiversidade e o segundo, é que o mercado interno por carne e leite é o terceiro maior do mundo. Acredita-se que o estudo dos genes será a moeda forte do futuro, mas de nada adianta possuí-los se não for possível identificá-los e torná-los disponíveis para a sociedade (RUMPF, 2007).

Nos últimos anos a pecuária brasileira tem mostrado um crescimento expressivo, o que colabora com o aumento da atividade econômica do país neste setor. O mercado de embriões bovinos brasileiros é o mais ativo do mundo vem aumentando sua demanda tornando-se alvo não somente nacional, mas também internacional (RHAME, 2012).

O Brasil apresenta posição de destaque no cenário mundial, sendo responsável por quase 50% da produção in vitro (PIV) de embriões bovinos do mundo. Dentre as várias técnicas reprodutivas, a PIV de embriões tem se mostrado de fundamental importância para o melhoramento genético do rebanho bovino mundial (LEITE, 2015), pois possibilita rápida multiplicação e disseminação de genótipos desejáveis (VIANA, 2009).

Uma maneira de solucionar problemas relacionados ao armazenamento de embriões produzidos in vitro não transferidos é a utilização das técnicas de criopreservação de embriões. O domínio dessas técnicas melhora o aproveitamento de embriões excedentes, que não tiveram sua transferência realizada por falta de receptoras aptas, tornando viável a formação de bancos genéticos de embriões. A formação destes bancos de embriões promove a oportunidade de preservar o material genético, fundamental no melhoramento dos plantéis (PYLES, 2003). Desse modo, é possível que seja efetuado com maior rapidez e eficiência, a disseminação do material genético de animais zootecnicamente superiores, mesmo em pequenas populações de animais (SEIDEL Jr., 1986).

Com o aprimoramento da técnica de PIV de embriões e por estes serem mais sensíveis à criopreservação, existe um esforço por parte de pesquisadores no mundo todo, no sentido de aprimorar uma técnica que permita a criopreservação destes embriões (PYLES, 2003).

As pesquisas na área da criopreservação incluem estudos sobre o tempo de pré-equilíbrio, o tipo e a concentração do crioprotetor que devem ser utilizados para viabilidade da técnica (PYLES, 2003). A criopreservação visa manter o metabolismo celular em estado de quiescência, tornando possível a conservação das células. Um dos mais importantes princípios da criopreservação reside na necessidade de se remover o máximo possível de água das células, antes de proceder a sua congelação (SEIDEL Jr., 1986). A velocidade de resfriamento, a temperatura de imersão em nitrogênio líquido, a velocidade de aquecimento e o método de remoção do crioprotetor também são alvo de estudos na busca de melhorias na técnica (PYLES, 2003).

O congelamento lento (One Step) de embriões bovinos produzidos in vitro ainda é um ponto crítico para a melhoria dos resultados da biotécnica de PIV (ONGARATTO, 2009). Apesar de muitos embriões parecerem viáveis após a criopreservação e remoção do crioprotetor, com a maioria de suas células intactas, os índices de gestação obtidos após as transferências são consideravelmente menores que aqueles obtidos com a transferência de embriões não submetidos aos processos de criopreservação (transferidos a fresco) (PYLES, 2003).

 Os estudos na área da biologia continuam em constante evolução visando melhorar a viabilidade de embriões criopreservados através desta técnica, com isso acredito que em pouco tempo teremos resultados mais concretos e índices de concepção próximos aos obtidos com as transferências feitas a fresco, o que resultará em melhores manejos nas propriedades e também na possibilidade de armazenamento de um banco de embriões de alto valor genético.



Cenatte Embriões
comercial@cenatte.com.br
(31) 3665-4075

 

 

 


 



Imprimir Artigo | Enviar Artigo por Email

Registre-se na nossa Mailing List para receber notícias da Semex Brazil por email